(por Israel Katz)
Compositor, director de coros e de ópera, e musicólogo norte-americano de origem alemã. Realizou as primeiras gravações de campo de tradicional em Trás-os-Montes em 1932.
Iniciou os seus estudos em piano, teoria e direcção, tendo prosseguido a sua formação em musicologia na Universidade de Berlim com Carl Stumpf e Max Friedländer que lhe despertou o interesse pelo universo da “música folclórica”, em especial pela “canção folclórica” alemã. Depois de desenvolver a sua carreira como compositor e de se ter destacado como maestro de coros e de óperas em Estugarda, Würzburg e ainda na ópera de Berlim – onde foi assistente de Félix Mottl e Richard Strauss – foi convidado em 1905 para dirigir a orquestra da Metropolitan Opera House de Nova Iorque, função que desempenhou até 1909.

No mesmo ano fundou o MacDowell Chorus (coro feminino), que, por sugestão de Gustav Mahler, foi transformado num coro misto de 160 vozes passando a designar-se Schola Cantorum of New York, agrupamento que dirigiu até 1926. A introdução, a partir de 1918, de música folclórica europeia (especialmente de obras corais espanholas) no repertório do Schola Cantorum, levou-o a merecer o respeito e a admiração dos compositores espanhóis, expressa em 1919 numa homenagem que o Orfeó Grancienc lhe prestou em Barcelona. Aproveitou a estada de 3 meses para percorrer a Espanha. Em 1922, foi nomeado presidente honorário da Fiesta Musical Bienal da Catalunha e foi convidado por Manuel de Falla a assistir ao Consuro de Cante Jondo em Granada. Em 1929 (Out. – Dez.) realizou o seu primeiro trabalho de campo recolhendo canções na província de León.

Em 1930 (meados de Jul. a fim de Set.) recolheu canções e melodias para dança nas províncias de Soria, Logroño e Burgos. Em 1932 (Ago. – Nov.), com uma bolsa da University (Nova Iorque), realizou outro trabalho de campo nas províncias de Salamanca, Santander, Asturias, Ávila, Cáceres (com Ángel del Rio, Federico de Onís e Eduardo M. Torner) e em Trás-os-Montes (com Raúl Teixeira e Firmino Martins), nos concelhos de Miranda do Douro e Vinhais onde recolheu principalmente romances e laços. As suas recolhas foram publicadas postumamente (Schindler 1991/ 1941), sob a coordenação de Federico de Onís. Das 987 canções coligidas, gravou 370 recorrendo a um Fairchild Recorder.

Cópias do seu espólio estão arquivadas na Fonoteca do Instituto de Filologia do CSIC em Madrid, representando a maior colecção de gravações de campo efectuadas em Portugal e Espanha antes da Guerra Civil Espanhola. Israel Katz

Obra Literária
Schindler, Kurt (1991/1941) Música y Popular de España y Portugal. Edição fac-similada. Salamanca: Centro de Cultura Tradicional, Diputación de Slamanca / Nova Iorque: Hispanic Institute, Columbia University.